Nutrição infantil: Melhor refeição para a saúde do seu filho

Na nutrição infantil, a combinação de alimentos saudáveis ​​e horários precisos para alimentação é a chave. Descubra o que é recomendado para cada idade.

Os pequenos da casa mudam com o passar dos anos, por isso as necessidades energéticas devem ser adaptadas às exigências de cada fase da vida.

A nutrição infantil, nesse sentido, considera fatores como a taxa de desenvolvimento e crescimento, gostos, apetite, atividade física e estado de saúde.

E embora cada criança seja um mundo, a verdade é que existem algumas orientações como recomendações gerais, que marcam uma alimentação saudável e equilibrada. Vamos comentá-los abaixo.

Nutrição infantil de acordo com a fase da vida

Diferentes fases da vida têm seus próprios requisitos. Vamos analisar quais são as orientações nutricionais que são sugeridas em todos os momentos.

Alimentação no primeiro ano de vida

No primeiro ano de vida, o leite será o alimento estrela. Em princípio, a amamentação é ideal para o bebê pelo menos nos primeiros 6 meses.

Os seus múltiplos benefícios são comprovados cientificamente, como a transmissão de defesas ao bebé, o fornecimento de todos os nutrientes de que necessita, o reforço do vínculo entre a mãe e o filho.

A amamentação deve ser a livre demanda, ou seja. O bebê sabe quando está com fome e vai demonstrar isso estando acordado e ativo, chupando as mãos ou virando a cabeça se tocarem na bochecha.

A duração da ingestão é variável; o bebê deve mamar o quanto for necessário.

Recomenda-se que o leite materno seja o único alimento do bebê durante os primeiros 6 meses de vida.

Também está estipulado que seja o alimento principal, juntamente com produtos complementares durante o primeiro ano.

Alimentação entre 1 e 3 anos

Nesta fase, os hábitos alimentares estão definitivamente estabelecidos. Por isso o trabalho dos pais é muito importante.

Este período caracteriza-se por ser uma transição entre a fase de crescimento muito rápido, típica dos lactentes, e o subsequente crescimento estável.

Devemos banir a ideia de que “crianças gordas são mais saudáveis ​​e mais bonitas”.

O grave problema da obesidade infantil se enraíza desde muito cedo. Na verdade, as necessidades energéticas são de cerca de 100 quilocalorias por quilograma de peso por dia.

Recomenda-se dividir a ingestão mais ou menos da seguinte forma:

  • Café da manhã: 25%. Deve conter um laticínio, um cereal e uma fruta.
  • Almoço: 30%. Purê de legumes ou legumes com legumes, massas, arroz, ensopados. Carne ou peixe desfiado ou em pedaços pequenos, tortilhas. Para sobremesa use frutas, leite ou iogurte.
  • Lanche: 15%. Frutas, presunto ou queijo em pedaços ou iogurte.
  • Jantar: 30%. Dê preferência aos vegetais, cereais e frutas. Leite com ou sem cereais.

Alimentação entre 4 e 8 anos de vida

A alimentação infantil, assim como a prática de exercícios físicos. É fundamental para o desenvolvimento nesse período. Tente estabelecer um horário organizado, mas não rígido.

Meninos e meninas nessa idade já podem comer sozinhos. O consumo de alimentos não será uniforme e haverá refeições muito abundantes, além de escassas.

As necessidades calóricas para esta idade, em crianças com estilo de vida sedentário, são de 1.200 quilocalorias nas meninas e até 1.400 nos meninos. A distribuição deve tentar seguir a seguinte distribuição:

  • Café da manhã: 25% do total de calorias. Você deve fornecer pelo menos 3 dos 5 grupos básicos de alimentos: laticínios, cereais e frutas frescas.
  • Almoço: 30-35% do total de calorias. A ementa pode consistir num primeiro prato à base de legumes e legumes, massa ou arroz; um segundo prato de carne magra, peixe ou ovos.
  • Lanche: 15%. Rações lácteas, frutas, carboidratos com um pequeno sanduíche podem ser complementados nesta refeição.
  • Jantar: 25-30%. Boas opções de comida para a noite seriam saladas, legumes, cremes, sopas. Como complemento, peixe, carne ou ovo

Alimentação entre 9 e 13 anos

A fase de 9 a 13 anos é caracterizada por um crescimento lentamente progressivo durante a primeira metade.

Para terminar com um crescimento mais acentuado, com o aparecimento do estirão puberal.

As necessidades calóricas basais são de 1.800 quilocalorias por dia. 200 quilocalorias serão aumentadas se a atividade física moderada for realizada.

Em termos gerais, 50-55% das calorias devem ser fornecidas na forma de carboidratos, 25-35% na forma de gordura e 15-20% na forma de proteína.

Saiba mais sobre nutrição infantil no vídeo abaixo.